Avaliação Neuropsicológica. Por que Fazer?

 

É normal que as pessoas sintam um certo receio ao se falar em avaliação neuropsicológica. Por isso é importante entender do que se trata e para o que serve este tipo de avalição. 


Geralmente a avaliação neuropsicológica é solicitada pelo médico, para complementar seu diagnostico, mas também pode ser solicitada pela escola ou por profissionais de saúde quando se trata de exame infantil, afim de nortear o trabalho a ser desenvolvido. 


Via de regra a avaliação neuropsicológica é solicitada quando alguns comportamentos começam a  interferir negativamente nos relacionamentos interpessoais e na rotina diária, como na escola e no trabalho. Esses casos geralmente são diagnosticados na avaliação Neuropsicológica.

Que ver um exemplo: aquela criança que não para quieta em sala de aula, que não faz as tarefas, não obedece os professores, não faz as tarefas e ainda por cima briga com os colegas; ou aquela criança que em processo de alfabetização não está conseguindo adquirir o conhecimento básico de leitura, escrita, compreensão de textos e operação de números. Também pode ser solicitada para adultos, em especial idosos, quando os problemas relativos a memória começam a chamar a atenção da família. Em casos de traumas causados por acidentes também pode ser solicitada. 

 

 

 

 

 

Na avaliação neuropsicológica, o profissional busca estabelecer o perfil do funcionamento cognitivo e identificar quais regiões do cérebro podem estar comprometidas, alteradas ou não funcionando de forma adequada. 

A avaliação neuropsicológica permite diagnosticar e determinar a presença, natureza e gravidade de uma disfunção cognitiva, neurológica ou comportamental. 

É uma avaliação aprofundada das habilidades e capacidades ligadas à função cerebral. A avaliação mede áreas como atenção, resolução de problemas, memória, linguagem, Q.I., habilidades visuoespaciais, habilidades acadêmicas e funcionamento sócio emocional.

         Normalmente aplicada em situações onde há suspeita de:
 
 

  • Doença de Alzheimer;
  • Demências;
  • Déficit cognitivo associado a idade;   
  • Aterações cognitivas nos quadros de AVC, TCE, neuro-infecções e tumores cerebrais; 
  • Alterações de cognição em casos de Transtornos Depressivos e  de Ansiedade;
  • TDAH (transtorno de déficit de atenção/hiperatividade);
  • Transtornos de Aprendizado e Leitura;
  • Discalculia; 
  • Atraso ou Deficiência Intelectual;
  • Altas Habilidades, dentre outros.
A avaliação neuropsicológica é recomendada em qualquer caso onde exista a suspeita de uma dificuldade cognitiva ou comportamental de origem neurológica.
Ela pode auxiliar no diagnostico e tratamento de diversas enfermidades neurológicas, problemas de desenvolvimento, comprometimento psiquiátricos e alterações de conduta, por exemplo. 
 

Mas como ela é realizada?

A avaliação psicológica é realizada ao longo de algumas sessões, em média 4 a 5 encontros, passando por estas etapas:

 

 

 

 

 

Anamnese do paciente 

Entrevista Inicial –  objetiva conhecer a história clínica da pessoa e ouvir os relatos da família relativa ao comportamento ou mudanças de comportamento que têm observado no paciente. A ideia é colher informações que permitam contextualizar o desempenho do indivíduo nas suas atividades diárias.

      Bateria de testes psicológicos

Aplicação deTestes – aplicada uma bateria de testes neuropsicológicos que tem como objetivo avaliar as funções cognitivas –  memória, atenção, raciocínio lógico, linguagem, dentre outras. O escore do avaliado é comprador ao do grupo normativo  para averiguar se trata-se de um quadro patológico ou não.

 Devolutiva – Após os dados serem levantado e tabulados gera-se um relatório da avaliação neuropsicológica. Na consulta final ele é entregue e esclarecido para à pessoa e/ou familiar o significado dos resultados da avaliação.

Muitas vezes também é efetuado contato com o médico ou educador solicitante, repassando orientações de comportamentais. 

O objetivo não é comunicar um diagnóstico, já que esta é uma prerrogativa de competência do médico responsável. O objetivo é fazer uma  descrição do perfil cognitivo e emocional da pessoa repassando estratégias para superar ou conviver de forma mais saudável com limitações que possam existir.

Como Neuropsicóloga sempre sugiro que considere sempre consultar um Neuropsicólogo, profissional que estudou a interface entre a Psicologia e a Neurologia, estudando as relações entre o cérebro e o comportamento humano. Ele que fará uma avaliação neuropsicológica levando a uma compreensão mais profunda da condição do paciente.

 



Sua Nova História - por Juliana Zen

Fruto de um longo trabalho no mundo corporativo, Sua Nova História é um estímulo ao profissional para ir em busca do autoconhecimento como ferramenta de crescimento.

Entre em Contato

Rua Santos Dumont, 1285, sl 1201 – Exposição – Caxias do Sul – RS – 95084-390

Me encontre nas redes sociais

Todos os direitos reservados – Juliana Zen CRP 07/05213 – Política de Privacidade