Como Você Reage ao Estresse?

 
 
 

O estresse é a maneira pela qual reagimos ao perigo, seja ele real ou imaginário. O ser humano é o único animal que tem uma reação de estresse diante de um perigo que não é iminente, diante de algo que pode vir a acontecer, e que talvez nunca aconteça de fato.

 

A situação de pandemia que estamos vivendo é tensa, cheia de incertezas, de medos. Diante de situações como esta as partes racionais do nosso cérebros parecem que ficam off line e começamos a agir de forma automática, por impulso. Quem assume o controle é o nosso cérebro reptiliano, responsável pelas respostas automáticas comportamentais e emocionais, necessárias para a sobrevivência – lutar ou fugir.

 

Cada pessoa tem uma maneira de reagir ao estresse. Ficam ansiosas, agressivas ou desamparadas. Algumas elevam o nível de ansiedade, tem palpitações, insônia e inquietação. Outras  se tornam agressivas e dominantes, se sentem superiores, confrontado a tudo e a todos. E por fim as pessoas parecem que ficam em estado de torpor, desamparadas, choram e se deprimem.

 

O que ocorre é que em situações de estresse, a nossa capacidade de planejar diminui.  O estresse afeta o córtex pré-frontal que é a área do cérebro que cuida das funções executivas – pensar, planejar, foco, raciocínio, execução, criatividade. Ou seja, não pensamos. Agimos por impulso, com foco na sobrevivência – lutar ou fugir.

 

No início da pandemia circulou pelo mundo imagens das pessoas enchendo os carrinhos de papel higiênico nos mercados. Logicamente, sabemos que não precisamos de um suprimento de papel higiênico por seis meses, mas quando vemos o carrinho de alguém empilhado alto, a ansiedade toma conta de nós e entramos no modo de sobrevivência. Medo, estresse – paramos de pensar racionalmente e agimos por instinto – enchemos o carrinho também.

 

O que você precisa fazer para sair deste modo automático? Ajudar seu cérebro a fazer o que ele faz de melhor –  voltar a pensar. Precisamos sair do modo sobrevivência e voltar a razão.

 

Comece descobrindo como você reage ao estresse. Em seguida avalie racionalmente se o perigo iminente que o desencadeou tem algum sentido. Voltando ao exemplo do papel higiênico, questione-se: Qual a quantidade de papel higiênico eu uso por semana? Qual a possibilidade de todas as fábricas de papel higiênico deixarem de produzir? Neste momento você já saiu do modo sobrevivência. 

Quer saber mais? Deixe seu comentário. 

 

Sua Nova História - por Juliana Zen

Fruto de um longo trabalho no mundo corporativo, Sua Nova História é um estímulo ao profissional para ir em busca do autoconhecimento como ferramenta de crescimento.

Entre em Contato

Rua Santos Dumont, 1285, sl 1201 – Exposição – Caxias do Sul – RS – 95084-390

Me encontre nas redes sociais

Todos os direitos reservados – Juliana Zen CRP 07/05213 – Política de Privacidade