Você Sofre de Burnout?

Faça o Teste e Descubra.

Você se sente exausto, irritado, desanimado e desvalorizado? Não encontra satisfação no seu trabalho? Pensando em largar tudo? Dores no corpo, pressão alta? Você pode estar sofrendo de “Burnout”, que agora é um diagnóstico médico oficial, de acordo com a Organização Mundial da Saúde.

“Burnout” não é simplesmente estar cansado. É um estado de tensão emocional e estresse crônico provocado pelas condições de trabalho ou pela maneira como o profissional está tratando a sua vida profissional.

 

Já falei desta síndrome em outra postagem, mas acho importante compartilhar pesquisa publicada pela Harvard Business que identifica as seis áreas nas quais você pode experimentar desequilíbrios que levam ao  esgotamento. Antes de tomar uma decisão de ficar ou sair,  avalie o que exatamente está contribuindo para o seu esgotamento e tente fazer mudanças.

 

 

 

1. Carga de Trabalho. Quando você tem uma carga de trabalho que corresponde à sua capacidade, pode realizar seu trabalho com eficácia, ter oportunidades de descanso e recuperação e encontrar tempo para crescimento e desenvolvimento profissional. Quando você se sente cronicamente sobrecarregado, essas oportunidades para restaurar o equilíbrio não existem.

Para lidar com o estresse de sua carga de trabalho, avalie como você está indo nessas áreas principais: planejando sua carga de trabalho, priorizando seu trabalho, delegando tarefas, dizendo não e deixando de lado o perfeccionismo. Se você não tem feito uma ou mais dessas coisas, tente fazer progresso nessas áreas de habilidade de gerenciamento de tempo e veja como você se sente. Para muitos indivíduos, especialmente aqueles que tendem a agradar as pessoas, algum esforço proativo para reduzir sua carga de trabalho pode reduzir significativamente a sensação de esgotamento e fornecer espaço para descansar.

 

2. Percepção de Falta de Controle. Sentir falta de autonomia, acesso a recursos e voz nas decisões que afetam sua vida profissional pode afetar seu bem-estar. Se você se sentir fora de controle, dê um passo para trás e pergunte-se: “O que exatamente está fazendo com que eu me sinta assim?” Por exemplo, seu chefe entra em contato com você a qualquer hora do dia e da noite e faz você sentir que precisa estar sempre disponível? As prioridades em seu local de trabalho estão mudando constantemente para que você nunca possa progredir? Ou você simplesmente não tem previsibilidade suficiente em termos de seus recursos físicos ou humanos para realizar seu trabalho com eficácia?

Então pergunte a si mesmo o que você pode fazer para mudar essa situação. É possível discutir o assunto com seu chefe para estabelecer melhores limites e não responder às mensagens 24 horas por dia, 7 dias por semana? Você poderia chegar a um acordo de que certas prioridades permanecerão constantes? Ou você poderia ter mais recursos se comunicasse o que precisava? Depois de considerar essas áreas, você pode ver o que pode fazer para influenciar seu ambiente versus o que não mudará, não importa o que você diga ou faça.

 

 

3. Recompensa. Se as recompensas extrínsecas e intrínsecas pelo seu trabalho não correspondem à quantidade de esforço e tempo que você dedica a elas, é provável que você sinta que o investimento não vale a pena.

Nesses casos, você deve olhar para dentro de si e determinar exatamente o que precisa para se sentir devidamente apreciado. Por exemplo, talvez você precise pedir um aumento ou promoção. Talvez você precise de mais feedback positivo e de um tempo face a face com seu chefe. Ou talvez você precise aproveitar as recompensas que já acumulou, como aproveitar o tempo de compensação que ganhou durante um período particularmente movimentado no escritório. Experimente para ver quais recompensas fariam o que você está fazendo valer a pena para você e se há a oportunidade de receber mais dessas recompensas em seu ambiente de trabalho atual.

 

 

4. Integração. Com quem você trabalha? Esses relacionamentos são de apoio e confiança? Em muitos casos, você não pode escolher seus colegas e clientes, mas pode melhorar a dinâmica. Pode ser tão simples quanto reservar um tempo para perguntar aos outros como está indo o dia deles – e realmente ouvir. Ou enviar um e-mail para alguém para que saibam que você gostou da apresentação. Ou escolher comunicar algo difícil de maneira respeitosa e sem julgamento. O esgotamento pode ser contagioso; portanto, para elevar o seu engajamento individual, você deve mudar o moral do grupo. Se você descobriu que depois de fazer tudo o que pode, os outros não podem melhorar ou não querem relacionamentos melhores, então você pode querer considerar uma mudança de emprego.

 

 

 

5. Justiça. Pense se você acredita que recebe um tratamento justo e equitativo. Por exemplo, você é reconhecido por suas contribuições ou outras pessoas são elogiadas e seu trabalho passa despercebido?

Se você acha que a falta de justiça exacerba seu esgotamento, comece falando. Às vezes, as pessoas não estão cientes de seus preconceitos ou não tomarão nenhuma atitude até que você peça o que deseja. Você pode pedir para fazer parte de uma apresentação ou para obter tempo e recursos adicionais. E se ainda achar que a resposta parece injusta, você pode considerar trazer isso à tona de uma maneira educada: “Percebi que a equipe da Filial A teve mais uma semana para trabalhar em seu projeto que originalmente deveria ser entregue na mesma data que o nosso. Você pode me ajudar a entender por que isso também não é possível para nossa equipe? ”

 

6. Valores Incompatíveis. Se você valoriza muito algo que sua empresa não valoriza, sua motivação para trabalhar duro e perseverar pode cair significativamente. Ideais e motivações tendem a estar profundamente arraigados em indivíduos e organizações. Ao avaliar esse elemento de esgotamento, você precisa pensar cuidadosamente sobre como é importante para você combinar seus valores com os da organização.

Considere também se os líderes em sua empresa mudaram seus valores. Olhe ao seu redor e pergunte-se: como meu chefe, minha equipe e minha organização tomam decisões e investem recursos? Eu me sinto bem com essas motivações subjacentes? Eles parecem abertos a mudanças? Se você tem valores fortemente defendidos e aqueles com influência em sua organização são diferentes dos seus, pode ser necessário procurar uma oportunidade mais congruente.

 

Se você descobrir que, apesar de seus melhores esforços, pouca coisa mudou, então veja se faz sentido ficar ou se é hora de ir em busca de outra oportunidade.

Tem dúvidas se você está sofrendo de Burnou? Ou se tem risco de sofrer? Faça o teste. Acesse o  link e descubra. É grátis. 

 

https://landing.mailerlite.com/webforms/landing/i0p2s5 

Não espere, se precisar, procure ajuda.

 

 

 

 

https://landing.mailerlite.com/webforms/landing/i0p2s5

Sua Nova História - por Juliana Zen

Fruto de um longo trabalho no mundo corporativo, Sua Nova História é um estímulo ao profissional para ir em busca do autoconhecimento como ferramenta de crescimento.

Entre em Contato

Rua Santos Dumont, 1285, sl 1201 – Exposição – Caxias do Sul – RS – 95084-390

Me encontre nas redes sociais

Todos os direitos reservados – Juliana Zen CRP 07/05213 – Política de Privacidade